Buscar

Nanã e a Lua Interna

Atualizado: Mai 26


Nanã é a lama primordial, o barro, a argila da qual são feitos os homens. Dela saem seres perfeitos e imperfeitos, modelados por Oxalá e cuja cabeça é preparada pelo sensível Ajalá. Ela é relacionada também aos abismos, tomando então o caráter do inconsciente, dos atavismos humanos.


Nanã tanto pode trazer riquezas como miséria. Está relacionada, ainda, ao uso das cerâmicas, momento em que o homem começa a desenvolver cultura. É o princípio do ser humano físico e, assim é considerada a mais velha das iabás (orixás femininos).


As cores de Nanã são o branco e lilás ou ainda o branco e azul. Sendo responsável pelo portal entre a vida e a morte, é a orixá da criação: tudo que foi criado do barro ao barro deve retornar. Seus elementos mágicos criadores são a terra e a água e por isso representa o aspecto da BRUXA ANCIÃ (menstruação) do ciclo interno feminino, estando diretamente relacionada à Lua Negra, que pega a passagem da Lua Minguante para a Lua Nova, ou quando temos os primeiros dias de menstruação e estamos materializando nosso sangue no mundo. O sangue menstrual é o único que verte sem violência, e só por isso é mágico.


Nanã representa a fase do ciclo feminino em que a sábia anciã se faz presente, onde a vida morte vida acontece ao mesmo tempo, pois estamos limpando nosso corpo das energias do ciclo anterior e nos preparando energeticamente para o próximo ciclo.


Entre seus atributos está a sabedoria, a magia e a feitiçaria. Nanã viu e participou do processo de criação do mundo e dos homens, conhece seus mistérios e segredos e os carrega em seu corpo toda a magia e a feitiçaria necessária para a criação. É a senhora que recebe os mortos e dá vida a eles em todos os mundos, no físico e no espiritual.


As mulheres que se identificam com as energias de Nanã são aquelas que carregam uma sabedoria interna, mesmo quando jovens demonstram ter uma visão de ampliada e mais madura do que deveria, sendo respeitada e de certa forma reverenciada por seus conhecimentos e sabedoria. Sabem a hora certa de falar com as pessoas, ainda que tudo vejam, buscam saber se as pessoas estão prontas para ouvir e conhecer a verdade.


Normalmente essas mulheres são mais conservadoras, gostam da disciplina e conhecem os domínios do tempo, sabendo que tudo tem seu momento certo. Buscam a estabilidade e se sentem sem chão quando suas rotinas são alteradas. Trazem a feitiçaria em seus corpos e são capazes de mudar a realidade conforme seus próprios pensamentos. Podem ser ranzinzas e mal humoradas, sendo muito exigentes consigo mesmas e no desempenho de suas atividades profissionais, o que estende aos seus colegas. Não suporta a superficialidade e não tem tempo para perder com elas pois, além de tudo que já viu está sempre buscando novos conhecimentos.


A sintonia com essa deusa pode ser feita em contato com o lodo, trabalhos com argila ou junto das matas, focando nas raízes e folhas soltas. Muitas vezes, Nanã se apresenta como uma mulher antiga, feita de barro, raízes e folhas, então ao juntarmos esses elementos podemos sintonizar com sua força. Isso se faz necessário sempre que estivermos sem rumo, sem caminhos, sem chão. Essa grande deusa conhece todos os caminhos e pode abrir ou fechá-los conforme sua vontade. Aceite a Bruxa Anciã que há em você, concentrando-se em seu caldeirão sagrado, no seu útero - o portal da vida, você encontra com a deusa da criação, Nanã.


Algumas das Ervas de Nanã e seus usos:


Assa-peixe: Usada em banhos de limpeza


Cedrinho: Este vegetal possui muitas variedades, todas elas pertencentes a deusa Nanã. Empregado em banhos de corpo inteiro e nos de purificação e um excelente tonificador da aura.


Cipreste: utilizado nos banhos de purificação e descarrego.


Para saber mais veja o vídeo: https://youtu.be/TF3uuS0zXvw


#Hamadriade #sagradofeminino #nanã #Nanãeociclointerno #nanãealuainterna #magiaLuminar #ginecologianatural


42 visualizações

HAMADRÍADE - lARA MONCAY REGINATO

Telefone/ WhatsApp: (54) 99154.1840
Email: laramoncay@gmail.com

COPYRIGHT 2019 HAMADRÍADE